Entre mortadelas e coxinhas

Acho que todo mundo tem seus estereótipos. E tudo bem, cada um sabe bem que isso não é o que nos resume. O problema é quando começamos dividir o mundo entre coxinhas e petralhas. E bom, eu lido super bem com isso. Eu amo coxinha, é sempre o salgadinho que eu mais ataco em festinhas de crianças. Só que nos últimos tempos, eu também sou coxinha. Eu tenho uma visão de direita da política, eu acompanho a economia e normalmente tomo posições liberais, e além disso tudo, eu ainda admiro muito o ex presidente Fernando Henrique Cardoso. E de repente, tudo isso também me faz abominar pobre, faz com que eu despreze o bolsa família, com que eu nunca tenha estudado história na vida e ainda por cima, eu também sou manipulada pela Rede Globo e pelo resto da mídia golpista.

Continuar lendo “Entre mortadelas e coxinhas”

Anúncios

Daqui para frente

Hoje a presidente Dilma foi suspensa de seu cargo. Mas não é um dia de comemorações. É um dia primordialmente de reflexões. Retirar uma presidente que não soube conversar com o congresso, que arruinou a economia e que não soube conduzir o país não resolve todos os nossos problemas. A luta ainda é árdua. A Operação Lava Jato ainda é importante. Cassar os mandatos de Renan Calheiros, Eduardo Cunha e Delcidio do Amaral permanentemente é fundamental.

Continuar lendo “Daqui para frente”

Um pedido de desculpas à Monica Lewinsky

Quando o caso de Monica Lewinsky veio a tona há mais de vinte anos, em 1995, a mídia e o mundo inteiro foram muito rápidos em julgar. Não que isso seja uma surpresa tão grande assim. Pelo menos por parte da mídia. Quantos casos podemos citar em que a imprensa destruiu a vida de pessoas inocentes por audiência e jornais e revistas vendidos?! No Brasil, os mais famosos são os dos Irmãos Naves e da Escola Base de São Paulo.

Continuar lendo “Um pedido de desculpas à Monica Lewinsky”

Por quê a mídia não é golpista

Eu não sou ingênua, não me leve a mal. Esse texto não tem como objetivo defender cegamente a mídia, é apenas uma reflexão. A mídia, ou melhor, as empresas midiáticas são negócios que visam o lucro como qualquer outro empreendimento. Portanto, claro que elas têm seus inúmeros interesses, e também não nego que muitas vezes essas empresas são tendenciosas. Não suporto a noção de assistir um telejornal, de ler um portal de notícias ou de abrir uma página de jornal sem o menor senso crítico ou questionamento. Também não nego que a redemocratização dos meios deva ser feita (mas isso já é assunto para outro post).

Continuar lendo “Por quê a mídia não é golpista”

Sobre o Brasil

Eu confesso que ultimamente ser brasileiro pode significar muita coisa, menos ter uma vida tediosa. Com acontecimentos cada vez mais surpreendentes, é quase impossível digerir tanto em um intervalo tão curto de tempo. Só hoje, o ex presidente Lula foi nomeado ministro e a maioria do STF votou pela rejeição dos embargos do rito de impeachment. No final de semana, os brasileiros foram as ruas e fizeram a maior manifestação da história, superando as Diretas Já. Dias antes, Lula ainda foi obrigado a prestar depoimento na sede da Polícia Federal.

Continuar lendo “Sobre o Brasil”